Pages Navigation Menu

"Estejam sempre preparados para responder a qualquer que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês." 1 Pedro 3:15

ANSIEDADE (III. Resposta bíblica)

Concluindo estas reflexões sobre ansiedade, vamos mencionar algumas de suas causas e efeitos e, então, comentar um passagem bíblica que tem respostas para este grave problema emocional.

Causas da ansiedade.

Em seu livro Aconselhamento Cristão, Gary Collins, psicólogo cristão, lista as seguintes causas da ansiedade:

  • ameaças ligadas à violência, às intempéries, às doenças;
  • situações novas e desafiantes como um novo emprego;
  • separações causadas por mudanças, divórcio ou morte;
  • influências inconscientes que afloram numa tendência pessoal;
  • conflitos resultantes da pluralidade de objetivos desejáveis, opções possíveis e alternativas desagradáveis;
  • medo de rejeição, do  fracasso, do sucesso, da doença, da morte, da solidão, do futuro;
  • situações reais ou imaginárias;
  • insatisfação com as condições de vida, com a falta de segurança, com o sexo;
  • falta de significado e realização pessoal.

Os níveis de ansiedade variam de pessoa para pessoa. Há os que ficam ansiosos por qualquer coisa, fazem “tempestade num copo d’água”. A fé em Deus e em Cristo geralmente reduz (ou deveria reduzir) a ansiedade.

Efeitos da ansiedade

G. Collins sugere os seguintes:

  • reações físicas tais como dor de cabeça, pressão alta, alergias, úlceras;
  • reações psicológicas que reduzem a produtividade, a criatividade e prejudica os relacionamentos;
  • reações espirituais que nos levam a buscar mais intensamente a ajuda divina ou nos afastam de Deus, da leitura bíblica, da oração e da igreja, justamente quando mais precisamos do conforto divino e da ajuda destes meios de graça.

Respostas à ansiedade.

As comuns são: comprimidos, pensamento positivo, terapia de grupo, yoga, tratamento profissional. Alguns lamentavelmente recorrem  às bebidas alcoólicas… Estes recursos (exceto o álcool) são legítimos e ajudam. Mas podem ser insuficientes, ou mesmo ineficazes em muitos casos. Como em tudo o mais, precisamos da ajuda de Deus, de seu conforto e orientação. Nós os encontramos na Bíblia e na oração.

Para efeito didático, vamos nos ater a um único e precioso capítulo da Bíblia, Filipenses 4. Nesta passagem, o apóstolo Paulo recomenda:

(1) Alegria deliberada: “Alegrai-vos sempre no Senhor…” (v. 4). Se as circunstâncias são adversas, evitamos a ansiedade (e outros problemas emocionais) alegrando-nos persistentemente com o que o Senhor Jesus fez e faz por nós…

(2) Moderação: “Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens…” (v.5). O termo grego significa tolerância, bondade, generosidade no julgamento, no lidar com as pessoas; a responsabilidade autoimposta de julgar a tudo e a todos é uma sobrecarga que gera ansiedade.

(3) Oração abrangente: “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas diante de Deus as vossas petições, pela oração e pela súplica… E a paz de Deus… guardará os vossos corações e as vossas mentes…” (vs.6-7). A oração é o mais santo e eficaz remédio contra a ansiedade!

(4) Pensamento induzido: “Tudo o que é verdadeiro… respeitável…justo… puro… amável… de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe (nessas coisas), seja isso o que ocupe o vosso pensamento” (v.8). Podemos, sim, controlar nossos pensamentos e, assim, evitar tristezas, culpa, ansiedade e depressão (não patológica). M. Lutero dizia, “Não podemos evitar que os passarinhos voem acima de nossas cabeças, mas podemos evitar que pousem e façam ninhos em nossas cabeças”.

(5) Ação: “O que aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai; e o Deus da paz será convosco” (v.9). Paulo foi um homem de ação. Ocupação planejada com propósito é um bom remédio para a ansiedade.

(6) Contentamento: “… aprendi a viver contente em toda e qualquer situação… de tudo e em todas as circunstâncias já tenho experiência, tanto da fartura, como de fome… abundância… escassez; tudo posso naquele que me fortalece” (vs.11-13). Muita ansiedade resulta da insatisfação e do querer mais e mais…

(7) Confiança em Deus: “O meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir em Cristo Jesus cada uma das vossas necessidades” (v.19). Esta é a experiência tranquilizadora de quantos verdadeiramente confiam em Deus. Lembre-se de Mt 6.25-34. Alguém disse: “Não sei o que o futuro me reserva, mas sei quem controla o futuro”. É isso aí!

Leia também, neste blog,  as duas mensagens anteriores:

Ansiedade I

Ansiedade II

Pr. Éber  Lenz César (eberlenzcesar@gmail.com)

 

 

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *