Pages Navigation Menu

"Estejam sempre preparados para responder a qualquer que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês." 1 Pedro 3:15

6. Contágio

Pastorais da pandemia.

6. Contágio

O filme Contágio, de 2011, antecipou situações muito semelhantes as da presente pandemia, principalmente o risco de contaminação. Quantas coisas nos foram impostas para evitarmos o contágio, a transmissão do coronavírus de uma pessoa para outra. O termo é usado também num sentido figurado: contagiar outras pessoas com qualidades boas ou ruins.

06 Arte Contagio

Na história bíblica, os judeus Daniel, Hananias, Misael e Azarias são exemplos de jovens que, por sua fé, evitaram a contaminação cultural e religiosa num país pagão.

Em 597 a.C. Nabucodonosor, rei da Babilônia, destruiu Jerusalém e levou cativos esses judeus e milhares de outros. O rei ordenou a um dos seus oficiais que lhes ensinasse a cultura local e os preparasse fisicamente para o servirem no palácio. Eles teriam uma dieta pesada, a mesma do rei. “Daniel, porém, decidiu não se contaminar com a comida e o vinho que o rei lhes tinha dado” (Dn 1.8). Com a bênção de Deus, ele e seus amigos conseguiram autorização para manter sua própria dieta, mais leve e sadia.

“Daniel decidiu não se contaminar!” O “vírus” que o ameaçava (e aos seus amigos) era cultural e gastronômico. Logo, um outro apareceria, o da idolatria. Entretanto, mesmo ameaçados de morte, esses jovens não se contaminaram (Dn 3 e 6).

A Bíblia nos alerta contra aspectos da cultura, da moral e dos costumes deste mundo que, como vírus mortal, ameaçam nossas crenças e práticas cristãs.

“Não imitem o comportamento e os costumes deste mundo” (Rm 12.2).

“Não amem este mundo, nem as coisas que ele oferece” (I Jo 2.15-16). Obviamente, as coisas prejudiciais.

A presente pandemia exigiu-nos isolamento e máscaras para evitarmos o dito contágio. A fé crista exige que tiremos a “máscara” da hipocrisia e nos aproximemos das pessoas. Jesus orou por seus discípulos: “Pai, não peço que os tires do mundo, mas que os proteja do maligno. Assim como tu me enviaste ao mundo, eu os envio ao mundo” (Jo 17.16-18).

Temos que evitar o contágio do coronavírus, mas, de todas as formas possíveis, contagiar as pessoas com o amor, a alegria e a paz de Cristo, oferecendo-lhes, também, o remédio que os pode curar do vírus do pecado!

Éber Lenz César (eberlenzcesar@gmail.com)

Leia as outras mensagens desta série:

1. Espera pelo Senhor!

2. Uma luz no fim do túnel

3. Mais tarde do que nunca!

4. Aprendendo no deserto

5. E todas estas mortes?

6. Contágio

7. Não perca a esperança

8. Santo remédio

9. Relva verde

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *