Pages Navigation Menu

"Estejam sempre preparados para responder a qualquer que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês." 1 Pedro 3:15

2. O vírus da SOLIDÃO

2. O vírus da SOLIDÃO

Em níveis diferentes, todos já sentimos solidão. Nessa pandemia, então! O isolamento social e outros fatores têm agravado o problema.02 Arte SOLIDAO

Isolamento e solidão são diferentes. O isolamento pode ser voluntário e benéfico: para reflexão, meditação e decisões; pode ser interrompido quando quisermos. A solidão é involuntária, depressiva e indeterminada. “É quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma” (Chico Buarque de Holanda).

Há uma solidão social: falta de companhia, de um amigo com quem compartilhar ideias e sentimentos. “Não é bom que o homem esteja só” (Gn 2.18). O apóstolo Paulo, num momento difícil de sua vida, sentiu solidão e pediu ao amigo Timóteo que fosse estar com ele, e depressa (II Tm 4.9-11). Até Jesus precisou de companhia e oração! (Mt 26.36-40).

Há uma solidão existencial: tem a ver com propósito, trabalho e utilidade. A atividade produtiva dá significado à nossa vida. Se não podemos trabalhar ou não encontramos trabalho, temos problemas, não somente pela falta de dinheiro, mas principalmente pela falta de propósito e realização pessoal. O profeta Elias, depois de notável realização, foi ameaçado de morte. Fugiu, isolou-se numa caverna e pôs-se a murmurar: “Pegaram meus amigos. Só eu fiquei… Quero morrer!”. Deus lhe disse algo assim: “Elias, vai trabalhar!” (I Re 19.8-16). Os idosos que exercem alguma atividade produtiva vivem melhor e mais anos.

Há também uma solidão espiritual. Resulta do pecado, pois este separa o homem de Deus. Quando Adão e Eva pecaram, eles foram expulsos do Éden e da presença de Deus, e começaram a ter fome de Deus! Tem sido assim, desde então. O rei Davi orou: “Ó Deus, eu te busco ansiosamente; a minha alma tem sede de ti” ( Sl 63.1).

Neste mundo, onde a maioria é egoísta e descrente, o cristão pode sentir-se sozinho e discriminado. Comunhão com Deus, reuniões da igreja, mesmo on-line, são um antídoto eficaz para a solidão. Boas amizades, dentro e fora da igreja, imbuídas de amor e desejo de servir, também. Ninguém precisa estar só!

Éber Lenz César (eberlenzcesar@gmail.com)

 

Leia as outras mensagens desta série:

 

1. O vírus da ANSIEDADE

2. O vírus da SOLIDÃO

3. O vírus da CULPA

_________________________________________________

 

PASTORAIS DA PANDEMIA. SÉRIE I – Conforto

 

PASTORAIS DA PANDEMI. SÉRIE II – Relacionamentos

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *