Pages Navigation Menu

"Estejam sempre preparados para responder a qualquer que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês." 1 Pedro 3:15

2. Dia de ANGÚSTIA (Salmo 50)

Pastorais da Pandemia

SÉRIE V – SALMOS para dias difíceis

2. Dia de ANGÚSTIA. Salmo 50

Todos sabemos, por experiência própria, que angústia é um sentimento terrível de ansiedade e aperto; uma inquietude profunda que acelera o coração, aperta a garganta, provoca dores no peito, dores de cabeça e insônia. As causas são variadas: acidente, assalto, perda do emprego, prejuízo financeiro, término de namoro, divórcio, pecado, culpa… pandemia!2. Dia de ANGUSTIA

Jó falou da angústia do seu espírito, queixou-se da amargura de sua alma (Jó 7.11). Mas foi forte! Todos temos de ser. “Se te mostras fraco no dia da angústia, a tua força é pequena” (Pv 24.10).

No Salmo 50, Asafe, um cronista de Israel, compartilhou, não tanto os próprios sentimentos, mas o que Deus lhe disse, e à nação, sobre a essência do verdadeiro culto: adoração com conhecimento, gratidão, súplica e obediência. Parece que, à época, Asafe e tantos outros em Israel seguiam o protocolo dos sacrifícios (seu culto), mas não tinham um adequado conhecimento de Deus; no sufoco, não recorriam à sua ajuda; não eram agradecidos e não não praticavam o que sabiam dos preceitos divinos (Vs.7-17). Talvez por isso, e outros motivos, as coisas não iam muito bem; dias de angústia se sucediam. Deus os corrigiu e graciosamente lhes disse: “Invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei…” (v. 15). Noutras palavras, “Se estiver com problemas, angustiado, fale comigo. Eu posso e vou ajudar!” Pensamentos positivos, psicólogos e medicamentos são válidos; porém, a ajuda mais certa e eficaz é a que vem do Senhor!

Deus sabe da nossa angústia, e quer que lhe falemos a respeito. Esta é a primeira coisa que devemos fazer no dia da angústia. Asafe escreveu, noutro Salmo: “No dia da minha angústia, procuro o Senhor…” (Salmo 77.2). Noutros tempos, quando em aflição, Israel fez exatamente isso: “Na sua angústia, clamaram ao Senhor, e ele os livrou…” (vs. Sl 107. 6,13,19,28).

Recebida a ajuda, o livramento, não nos esqueçamos de agradecer, de testemunhar, para a glória de Deus. Em seguida à promessa feita a Asafe e a Israel, “Eu te livrarei!”, Deus disse também: “… e tu me glorificarás” (Sl 50.15b). Nas ocasiões em que Israel “na sua angústia, alaram ao Senhor, e ele os ouviu”, os líderes lhes disseram: “Rendam graças ao Senhor por sua bondade…” (Sl 107. 1,8,15,21,31).

Então é isso: Angustiado? Ore, peça ajuda ao Senhor. Ele prometeu: “Eu te livrarei!” E não se esqueça “… e tu me glorificarás”.

 

Veja as outras pastorais desta série:

1. Dia de AFLIÇÃO

2. Dia de ANGÚSTIA 

3. Dia de DESOLAÇÃO

4. Dia de DECEPÇÃO. Sl 40 e 41

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *